Os textos que desisti de enviar – Parte 1

Parte nº 1 – Medo da solidão

Capítulo 8 – Vivo como se ainda fôssemos dois.

Mais cedo eu te vi. Lindo como sempre, me fez refletir sobre o tempo em que estamos separados. Pensei em acenar e te convidar para um café. Mas logo desisti dessa ideia pelo simples fato de saber que você não aceitaria. Éramos tão próximos e hoje tão estranhos. E quer saber? Ainda não consigo aceitar tudo isso.

Vivo como se ainda fôssemos dois. Por isso, eu guardo o seu lugar no sofá, não terminei de assistir aquela série engraçada que eu errava o nome de propósito só para ver você me corrigindo. Continuo usando os três travesseiros na cama do jeito que você fazia e ainda frequento os mesmos lugares em que costumávamos ir só para, quem sabe, te encontrar entre uma saída e outra.

Porém, ter que lidar com a dor da sua falta não é nem um pouco fácil. Tenho vivido ausências e me alimentado de esperança. Sem você aqui tudo é um imenso tanto faz. Não vejo mais graça nas coisas, tudo se mistura num imenso limbo escuro e as emoções se confundem. É como se o meu mundo estivesse parado. Dias difíceis se aproximaram e você se foi antes que eu pudesse me acostumar com a ventania.

É impossível negar o que sinto e, sendo bem sincero com você, essa nem de longe é a minha vontade. Preciso que você volte, porque o amor ainda está aqui. Tente perceber o seu lugar nisso tudo e deixa esse orgulho de lado. Me dê mais uma chance, nos dê mais uma chance. Não posso te provar coisa alguma agora, porém, sei que nada mais será como antes.

Mas, eu não vou mais me justificar. Quero de verdade que você entenda. Agora é com você! É chamar à existência aquilo que um dia existiu e que foi tão forte. Talvez você nem me escute nesse momento, nem dê atenção ao que eu falo. Mas se um dia essas palavras fizerem algum sentido, pode me procurar. Estarei no lugar de sempre, esperando por você. Seu lugar em minha vida continuará aqui, resta você ocupar.

“Caso queira compartilhar o conteúdo, bem como imagens, textos, projetos ou postagens deste site, redirecione um link para este blog o apontando como fonte original.
— Todos os direitos autorais deste site e da autora são reservados e estão protegidos por lei.”
© 2017 – Vanessa Pérola. Todos os direitos reservados.

Achada em sua graça, lugar que me faço feliz. Quando olho em seus olhos, sei quem realmente sou. Que as palavras aqui escritas, encontre repouso em seu coração! Não curto café, nem mimimi!