O lado bom da vida

Oi gente, tudo bem?

Terminei de ler um livro que já tinha há algum tempo, porém só me interessei em lê-lo agora no começo de janeiro. O lado bom da vida narra à história do Pat Peoples, que tem cerca de trinta e poucos anos e acabou de sair de uma instituição de saúde mental, onde passou quatro anos, porém pensa ter passado apenas alguns meses. Ele está separado da esposa, mas ainda cogita a possibilidade de voltarem, já que ele chama o divórcio de “Tempo separados”. No período em que ficou na clínica ele adquiriu um vício em exercícios físicos, acreditando que, se ficar forte e bonito, Nikki — sua ex mulher — o quererá de volta. Além de se aprofundar na literatura para se tornar mais gentil, sensível, culto e parecido com Nikki e seus amigos.

Ao voltar pra casa ele descobre que os livros que Nikki recomendava aos seus alunos sempre acabam em tragédia e sem finais felizes, o que ele considera ridículo, pois ele pensa que a vida é como um filme que tem sempre o final feliz não importa o que aconteça. Em um jantar na casa de seu melhor amigo Ronnie, ele conhece Tiffany que começa a fazer uma diferença enorme em sua vida e mudar toda sua trajetória.

O livro é meio chato no inicio porque tudo o que Pat deseja é voltar para sua esposa que nem se quer pretende ver a cara dele. Porém, ele te envolve de tal maneira que até a pessoa mais pessimista do mundo, após a leitura, vai acabar por buscar um pouco mais do “lado bom da vida”. Sem contar que Pat nos dar algumas lições maravilhosas como: “Estou praticando ser gentil ao invés de ter razão.”, e isso é muito importante. Diversas situações onde ele tende a explodir, ele se concentra e pensa nessa frase, então desiste de fazer aquilo que ele poderia se arrepender depois. Um bom exemplo para todos nós. O lado bom da vida nos permite também ter um olhar crítico sob a forma com a qual analisamos a nossa vida. Será que temos sempre um olhar pessimista das coisas, das situações, das pessoas? E por mais que a vida não seja como um filme onde o final é sempre espetacular temos que enfrentar a realidade e suportar mesmo que nos doa, pois viver “o feliz” agora é melhor do que viver esperando um final que seja feliz.

Quando foi chegando o desfecho da história foi que eu me envolvi mais e passei a torcer e vibrar com Pat. Sendo empática com a sua dor e com seus pensamentos. O livro tem uma mensagem muito bacana sobre se reencontrar e se reconstruir após grandes perdas, a narrativa em primeira pessoa nos coloca dentro da mente do Pat e a leitura flui rapidamente.

Agora se você já viu o filme e ainda não leu o livro, aconselho que desconstrua tudo o que assistiu, porque o filme não retrata quase nada, nada mesmo do livro. E acaba deixando tudo muito clichê e sem graça, eu mesmo, odiei o filme. Não amei o livro a ponto de indica-lo a quem gosta de uma história diferente e marcante, mas indico a quem quer adotar mais um personagem e se envolver em seu mundo. Partilhando suas dores, aventuras e desventuras. Que ao final você possa dar um passo em direção ao otimismo, lembrando que até o mais rigoroso inverno acaba para que a primavera possa chegar.

o-lado-bom-da-vida

Vanessa Pérola

Cristã. Estudante de psicologia, amiga e sonhadora. Inquieta e tagarela. Amante dos cachos, apaixonada por vírgulas. Posso dizer que amo estar envolvida nas questões sociais e fazer novas amizades. Sempre aberta ao diálogo e a dar conselhos sobre os mais diversos temas. Amo escrever e por isso criei o blog. Um sonho: ter um livro publicado! Quer conversar? Chama nas redes sociais ou no email, será muito legal bater um papo com você.