“Nesse mundo corrido me sinto tão devagar”

Li uma frase em um grupo de WhatsApp que me chamou à atenção: “Nesse mundo corrido me sinto tão devagar. ”. Se pararmos para analisar, isso é o que Deus espera de nós. Vivemos em um mundo tão agitado, barulhento, onde não se tem paz. E para piorar, somos uma geração “Fast”, queremos tudo para ontem e do nosso jeito. Só que tudo isso acarreta tantas coisas ruins a nossa vida, a ansiedade é um exemplo disso. Até porque ela traz a angustia, preocupação, nervosismo, insegurança, tristeza e a falta de confiança em Deus.

E sabe, eu me vejo nessa agonia. Um desespero toma conta de mim, porque parece que sempre tenho pouco tempo. Temos vinte e quatro horas para nos organizar, fazer nossas tarefas e cuidar da nossa vida particular. Só que, ao final do dia, sempre sinto que tive umas oito horas a menos. Como não consigo conciliar as tarefas, acabo me desorganizando e a minha vida vira uma bagunça. Trabalhos inacabados ou nem sequer iniciados, muita tarefa, muita cobrança e o tempo rugindo que nem um leão feroz em meu pescoço. Prazos, prazos e mais prazos e a ansiedade me dominando fortemente. Minha resposta diante de tudo isso: procrastinar, empurrar com a barriga — como diz minha avó — e deixar que as coisas se ajeitem com o tempo (o que é a mais pura mentira, elas apenas se acumulam). E quando vejo tudo acumulado a única solução que eu encontro é fazer de qualquer jeito, o que é péssimo.

Voltando a frase inicial desse texto eu me pergunto: como que em um mundo de agonias e, tanta correria, alguém consegue simplesmente ser calmaria? Como alguém consegue dizer que se sente devagar em um mundo que é tão depressa? Aos olhos carnais isso parece tão impossível. Chega a soar tão preguiçoso. Mas ao observar as escrituras atentamente, notamos que isso é possível em Deus.

Pedro nos diz em 1ª Pedro 5:7 que devemos entregar a Jesus toda nossa ansiedade, nossa preocupação, nossos medos, porque Ele tem cuidado de nós. Cristo nos diz: “Você está vendo toda essa agitação que o mundo te oferece, que o sistema te obriga a viver? Eu digo que não precisa disso. Filha, quem disse que eu te pedi para viver nessa correria? Você tem a mim e sou eu quem cuida de você. ”

Em Mateus 6:34 Cristo ainda nos orienta a não nos inquietar pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Então não adianta eu tentar acarretar mil e uma atividades, e correr contra o tempo para tentar resolvê-las. Muitas atividades podem gerar desorganização, e isso é o que traz a ansiedade, a culpa por não conseguir realizar quase nenhuma tarefa e o desânimo.

Se temos que andar na contramão do mundo, o que estamos fazendo do mesmo lado daqueles que são robotizados por pressões e fardos pesados? Se Ele me diz que o seu fardo é leve e que Ele cuida de mim, então tem algo errado em minha vida, e é isso que me faz ficar ansiosa. A pessoa que escreveu que se sente devagar em um mundo corrido entendeu que não adianta correria, presa, agitações desnecessárias, pois é Ele quem supre.

Mas como conseguir encontrar essa paz em meio a tanta movimentação? Colocando-o a frente de tudo e de todos. Colocando-o como primeiro em nosso dia e, pedindo que Ele nos ajude a nos organizar. E enquanto escrevo esse texto ainda não consigo essa proeza, mas fico feliz por saber qual direção tomar, por onde devo ir.

Não é tão fácil como parece, mas também não é algo impossível. Precisa-se de atitude. Pois, procrastinar, se angustiar, se fadigar, enlouquecer, se estressar, nunca será a solução. E tudo isso pode ter um fim em uma única palavra: Entrega. Entregar a Cristo tudo aquilo que nos persegue e pedir que Ele ajeite toda confusão existente. Assim, poderemos experimentar do seu sossego, da sua graça, e da sua paz.

Vanessa Pérola

Escute essa canção e deixe Deus ministrar ao seu coração… Desacelere na presença daquele que nos amou primeiro, que tem a paz que excede o nosso entendimento.
Eu preciso ajustar a visão
Aquietar este meu coração
Preciso te ouvir falar

Vem Senhor segurar minha mão
Me tirar desta agitação
Vem me desacelerar, desacelerar

Obs.: Esse texto foi escrito no dia 29/09/2015. Ele faz parte de um conjunto de devocionais que eu me propus a escrever durante um mês. Durante esse período, eu escrevia sobre tudo o que eu vivenciava no dia. E nessa época eu era dominada pela ansiedade, vivia angustiada e sem paz. Hoje ao relê-lo, percebo o quanto ainda preciso me dedicar mais ao meu relacionamento com Deus, mas sou grata por não viver mais escrava da ansiedade que me levava constantemente a passividade e procrastinação. Ainda não sou quem Ele quer que eu seja, mas não sou mais como eu era antes!

Follow on Bloglovin

Achada em sua graça, lugar que me faço feliz. Quando olho em seus olhos, sei quem realmente sou. Que as palavras aqui escritas, encontre repouso em seu coração! Não curto café, nem mimimi!