Nem te conheço, mas já te quero!

É estranho, mas me peguei pensando em você de novo. Eu sei só te vejo na padaria, na fila do pão e a única coisa interessante que sei de você é que gosta de queijo. Nossa… Reparei muito na sua barba. Desculpa, mas não podia deixar de nota-la. O seu sorriso também me chamou à atenção. Meio de canto, com tom de sinceridade e uma pitada de… Meu pai!

Sabe, você está me prejudicando. Não é nada demais. É que prometi que nunca mais comeria pão. Por causa do glúten, lactose, essas coisas. Mas no dia em que entrei na padaria pra comprar um activia e vi você comprando, tive que comprar também. Era uma forma de aproximação.

Que chato! Mal sei quem é você. Somente outro dia fiquei sabendo qual é o seu nome. Foi quando você saiu meio desatento e a garota do caixa gritou: “Bruno vem pegar seu troco.”. Bruno, que nome lindo! Sempre quis ter um filho e colocar o nome de Bruno Júnior, é meio cafona, mas eu gosto. E nem ouse pensar que é por sua causa. Talvez até seja.

É uma droga já querer você, sem nem te conhecer direito. Não tenho como mudar isso. O medo é o quero virar paixão. Ai ferrou tudo. Já me vejo pedindo emprego na padaria. Só não sei onde quero ficar. Se no caixa ou no balcão pra despachar. Acho que ficar no caixa é melhor, você conversa mais com as meninas de lá. Até seu nome elas já sabem.

Tem sido fácil gostar de você. Percebi outro dia que é educado, isso me chamou atenção. Quem sabe um dia me aparece à coragem e peço seu whatsapp só pra te contar que eu me peguei aqui, escrevendo pra você pela quinta vez. Apesar de não saber muito o que está acontecendo, eu me sinto muito ligada a essa estranha sensação de te conhecer desde sempre. E isso é bom. Não é muito real, mas é bom.

Vanessa Pérola

Achada em sua graça, lugar que me faço feliz. Quando olho em seus olhos, sei quem realmente sou. Que as palavras aqui escritas, encontre repouso em seu coração! Não curto café, nem mimimi!