Espero que fique bem, de verdade.

(Se puder escute Dig de Incubus enquanto ler, mesmo não tendo muito a ver com o texto hihihi)

Antes de começar, queria te dizer uma coisa e perguntar outra: estou vivendo muitíssimo bem sem você e será que ainda é tarde para pedir perdão? Espero que me entenda, afinal, você conhece meu jeito rude e sabe que, por mais que eu tente, não consigo me desculpar.

Simplesmente eu sou assim: indelicada, impaciente, calada, entediada, agressiva, chata, independente e amo de forma livre. Odeio que me prendam ou ficar em algum relacionamento que eu me sinta presa. Não sou a garota que você pensava que eu fosse e com a nossa separação pude ter ainda mais certeza. E é sobre isso que eu quero falar.

Pretendo ser breve e pontual, mas, não me interrompa caso eu me prolongue.

Nunca falava com você sobre mim, porque eu não gosto de ser invadida, de saber que outras pessoas estão por dentro das minhas confusões e que agora elas sabem o meu ponto fraco. Não era uma questão de não ter você como amigo, era uma forma de me proteger. E eu peço desculpas por isso. Por saber que você sempre sofreu com a dúvida e que tanto se esforçou para que eu pudesse sentir confiança e então falar da vida. Você é um amigo extremamente especial, entende? Nunca foi você.

Não é fácil explicar, mas é que eu sou assim. Meio morta por dentro.

Perdão pela distância e por parecer não ter ligado muito para as surpresas que você fazia. Meu coração é meio frio. Gelado para ser mais honesta. É que eu gosto da solidão e a procuro como alguém procura o ar quando está se afogando. E talvez seja isso. Eu esteja me afogando em tanta mágoa.

Não, eu não quero ser salva.

Perdão por ter começado, por ter levado adiante algo que eu sabia que não ia durar. Eu insisti em você por conveniência, por prazer, por apego, mas não foi por amor. Eu tenho esse lado durona, orgulhosa, mas quero que você saiba que sou muito frágil por dentro, fácil de quebrar. E não permito que me amem, ou que eu ame alguém. Por isso eu dificultava tanto as coisas.

Mas não se preocupe, eu estou muito bem assim.

E por último, perdão por não te querer como você me quis. Por não acreditar como você acreditou e por fazer pouco caso dos seus sentimentos. Pode ter certeza que eu me arrependo disso. Eu gosto muito de você, mas gosto ainda mais de ser livre. E não posso brincar mais uma vez com seu coração como já fiz outras vezes. E esse foi o motivo pelo qual eu não lhe aceitei novamente.

E lhe deixo um conselho que já dizia Caio Fernando Abreu: “Supere isso e, se não puder superar, supere o vício de falar a respeito”. Por favor, não fale mais de nós, de como tudo acabou e do quanto está difícil superar. Não me coloque como a vilã, como alguém que lhe causou danos, por ora, irreversíveis. E é por isso que lhe escrevo. Somente para que você saiba que o problema não foi você, muito menos eu. O problema estava na vida quando teimou em nos juntar, mesmo sabendo que isso nunca daria certo. Acredito mesmo que você é forte e que vai aprender a lidar com isso.

Quero que saiba que estou ótima e torço para que você também fique.

Adeus!

Vanessa Pérola

Cristã. Estudante de psicologia, amiga e sonhadora. Inquieta e tagarela. Amante dos cachos, apaixonada por vírgulas. Posso dizer que amo estar envolvida nas questões sociais e fazer novas amizades. Sempre aberta ao diálogo e a dar conselhos sobre os mais diversos temas. Amo escrever e por isso criei o blog. Um sonho: ter um livro publicado! Quer conversar? Chama nas redes sociais ou no email, será muito legal bater um papo com você.