Confrontos

Hoje quando eu acordei percebi que tinha algo que me prendia na cama e isso acabava não permitindo que eu vivesse. Não eram os problemas, mas exatamente a falta deles. Deve ser estranho para você ler isso, mas é realmente o que eu quero dizer. Tenho existido de forma apática. Sem muitos interesses, responsabilidades, contato físico com as pessoas, com o mundo. Passei a vida evitando confrontos, pois tinha sofrido demais em tempos atrás. Então como num estalo eu comecei a enxergar a minha realidade. Os confrontos em si não existiam. A cobrança alheia, os prazos, a correria lá fora, a gritaria desse mundo maluco, nada disso fazia parte de mim. Mas só agora percebi que ter me afastado também não me fez bem. Alguns psicólogos sociais acreditam que o homem, pra se tornar indivíduo, precisa ter contato com outro homem. Socializar, interagir, comunicar-se. E essa é uma verdade. Precisamos ser afiados todos os dias, pois, sem o outro, como que meu caráter pode ser moldado? Sem o outro, como posso aprender aquilo que é certo ou o que é errado? Muitas vezes a convivência dói, mas é ela também que nos faz ser fortes. Sermos resilientes. E também eu não preciso conviver com todo mundo que me machuca, pois ainda existem pessoas que valem a pena. Existem conversas que precisam acontecer, abraços que precisam ser trocados, beijos que precisam ser dados, almas que precisam ser tocadas e ligadas através do amor. Portanto, eu pensei bem: “Preciso mesmo ficar trancada, indiferente a tudo e a todos? Preciso mesmo evitar os confrontos?”. Não, eu não preciso. O que eu preciso é saber viver. Saber que a cada desconforto eu posso aprender algo que me fortaleça. Afinal a vida é uma só, e por mais que isso seja clichê, é a mais pura verdade. E qual legado eu irei deixar, se eu não me permitir? Pense nisso e permita-se.

Vanessa Pérola

Cristã. Estudante de psicologia, amiga e sonhadora. Inquieta e tagarela. Amante dos cachos, apaixonada por vírgulas. Posso dizer que amo estar envolvida nas questões sociais e fazer novas amizades. Sempre aberta ao diálogo e a dar conselhos sobre os mais diversos temas. Amo escrever e por isso criei o blog. Um sonho: ter um livro publicado! Quer conversar? Chama nas redes sociais ou no email, será muito legal bater um papo com você.