Carta a você, que fez parte de um passado bom!

Sabe aquela foto nossa? Encontrei outro dia na minha gaveta das boas lembranças. Era uma foto daquela viagem que fizemos a Noronha, no dia em que nossas famílias se conheceram e a partir dali não se desgrudaram mais. Uma foto linda de uma viagem inesquecível.

Lembro como se fosse hoje dos peixinhos mergulhando por todo aquele azul infinito, vestido de mar. Lembro de vermos o pôr do sol sentados na areia e de vermos nossos irmãos brincando, sentados quietinhos a beira da praia. É tão incrível que não somos mais aquele casal apaixonado que compõem aquela foto. Mas o mais incrível é saber que a amizade não se perdeu em meio ao término que nos acometeu.

Você não é mais aquele menino ingênuo de sorriso bobo e eu não sou mais aquela menina de olhar tímido. Hoje ao olhar para você vejo que se tornou um grande homem e eu uma grande mulher. Vejo que nossos destinos não se cruzaram e de modo algum é ruim saber que não somos mais o que éramos naquela época. Pois nós crescemos, nós mudamos e o que tínhamos construído continuou lá, fazendo com que nosso passado tenha uma boa lembrança.

Olhar a nossa foto me fez perceber que ainda existe amor aqui dentro por você. Mas não quero que pense que é aquele velho amor que me fazia pensar que você era o homem da minha vida. Senti um tipo de amor saudoso, amor de irmão, amor que quer bem e que se sente feliz por ver o outro feliz. Nesse momento o meu olhar mudou e um sorriso meio de canto apareceu, aquela foto me mostrava o quanto você sempre me trouxe paz.

Definitivamente, hoje percebo que ir embora foi mesmo a melhor decisão, porque não dá pra prender dois corações que não nasceram para se juntar.Foi tão bom rever as nossas fotos e nesse momento vir à mente uma boa história, como aquele livro que de tão bom nos faz querer ler de novo, mas sem expectativas, pois já sabemos do final. Um final que não é mais nosso, mas que um dia foi e hoje não nos faz sentir vergonha, raiva ou dor. Mas que traz o conforto de quem tem no coração razões especiais para guardar a amizade, a reciprocidade e a empatia.

Sentir saudade é muito bom, nos faz notar o quanto à pessoa é única em nossa vida ao ponto de não querermos mais viver sem ela.

E sabe, sou grata ao amor que de alguma forma você me deu, o amor que você me ensinou, o amor que sentimos um pelo outro.  É bom saber que um amor assim pode acontecer, ser puro e verdadeiro e acabar sem magoa. Eu ainda quero voltar a viver esse tipo de amor que desabrocha e nos faz sentir viva. Mas por enquanto eu ainda prefiro ficar solteira, aprendendo coisas, conhecendo pessoas e realizando viagens.

E eu só te liguei para poder dizer que eu queria poder te abraçar e agradecer pelos anos juntos e pelas memórias guardadas.Hoje você não é mais o meu amor, mas fico feliz em ser sua amiga. Essa foto nossa me trouxe boas lembranças e eu espero que fique bem, pois eu sempre vou te amar de alguma forma.

Cristã. Estudante de psicologia, amiga e sonhadora. Inquieta e tagarela. Amante dos cachos, apaixonada por vírgulas. Posso dizer que amo estar envolvida nas questões sociais e fazer novas amizades. Sempre aberta ao diálogo e a dar conselhos sobre os mais diversos temas. Amo escrever e por isso criei o blog. Um sonho: ter um livro publicado! Quer conversar? Chama nas redes sociais ou no email, será muito legal bater um papo com você.

  • Sara Jesus

    Escreve tão bem sobre o amor. Que podia criar uma coluna sentimental para ajudar pessoas com problemas amorosos! Eu com certeza a pediria ajuda.

    • Já pensei nisso! Será que tenho coragem? Vou pensar sobre e quem sabe né? Amo escrever sobre isso!!! Obrigada pelo comentário ♥

      • Sara Jesus

        De nada Vanessa. Já te disse mas volto a repetir… Tens um dom com as palavras. Aconselharia a ler o livro ” Larga-me quem não te agarra” de Raul
        Minh´a Alma. Encontra-se dentro do género que escreves. E poderá ser uma grande ajuda para a tua coluna sentimental

        • Com certeza vou procurar o livro e vê se acho com facilidade! Obrigada pela dica ♥