Bonecos de plástico

Bonecos de plásticos é uma música do Palankin que tem como voz feminina a Ana Rock que fez participação em uma música do novo CD do Livres para Adorar. Será que você conhece ? Senão, precisa conhecer clicando aqui.

Escutei-a pela primeira vez em um blog. E, preciso confessar que, não me atentei direito ao que a Ana Rock estava cantando por está prestes a dormir. Mas tinha percebido que aquela música tinha uma letra muito profunda.

Depois de escutá-la diversas vezes, — isso no mesmo dia — comecei a notar que em alguns momentos da minha caminhada cristã, com o meu coração fatigado e sem esperança, eu me lançava em meu lugar secreto e fazia desesperadamente essa oração. Ainda a faço hoje. É incrível como essa música me levou a relembrar alguns instantes em que as minhas dúvidas me sufocaram e o choro não cabia em mim. Só Deus sabe as inúmeras vezes, em que, perdida em meio ao desespero da minha alma, eu pedia que Ele me socorresse e me ajudasse a sair dessa zona de inconstância, que me fazia tropeçar em máscaras para parecer impecável perante as pessoas.

Procurava respostas, saídas, procurava preencher o meu vazio. Nessa ânsia por respostas, fui levada a um lugar escuro e fétido, onde todas as minhas vontades e desejos se encontravam. E por mais que eu me recusasse a acreditar, eu habitava ali.

Não foi nenhum pingo confortável saber que, como muitos, eu vivia perdida em meio a uma religiosidade que gritava e exigia perfeição. Que nos rótula de iguais e nos faz perder a nossa essência. Tinha-me tornado alguém plastificado.

“Aqui está o meu coração, tentando entender esta situação. Não quero algo plastificado, eu preciso mais que uma religião. Preciso de mudanças de hábitos, mais que um show de bonecos de plástico. Uh, preciso de algo real. Aqui está o meu coração, cansado de tanta manipulação. Não quero algo falsificado, eu preciso mais que uma encenação. Uh, preciso de algo real.”

Quantas vezes eu não me peguei encenando situações, e ao mesmo tempo exigindo dos outros uma realidade em suas emoções? Que hipócrita! Mas o Deus que é real, nos coloca contra a parede, nos causa desconforto e nos mostra hábitos que precisam ser mudados e máscaras que precisam ser retiradas. Cristo nos confronta. Se deixarmos e pedirmos, Ele nos retira do lugar obscuro e nos leva a matar nossa carne.

Tantas foram às vezes, em que, eu criei os meus espetáculos cheios de dramas e vitimização. Deixava-me ser levada pelo show da vida, onde quem necessita de atenção, precisa se lamentar. Corria ao encontro dos holofotes, dos congressos, conferências e vivia buscando uma manifestação do Espírito Santo “para parecer alguém espiritual”. Enchia os meus cadernos de oração com frases impactantes, criadas por pessoas influentes, fazendo delas, uma espécie de ladainha mística. Buscava estar no centro, como uma forma de preencher os espaços vazios que existiam dentro de mim, e que cada vez gritava mais forte.

“Mas me esforçando não consigo Te amar mais! Na minha força eu me canso e nada satisfaz! Então largo tudo, no silêncio, no escuro e Te contemplo! E entendo o porquê estou aqui! Entendi por que eu nasci! Pra ser amada por Você, pra ser uma com Você!”

Quanto mais eu me esforçava para encontrar-me com Ele, encontrava-me comigo mesma.

Iniciei uma luta incansável para aprender a amar a Deus e, mesmo gastando toda energia possível, percebi que apesar do meu esforço, eu não conseguia amar mais a Ele. E eu continuei tentando, até que, não havia mais gozo em mim.

E já perdida, sem saída e sem esperança, decidi me render e clamar fortemente por Ele. Abri mão dos conselhos, da dependência das pessoas e das fórmulas que me eram vendidas pelos holofotes. Foi então que me lancei no silêncio e no escuro. E mesmo não havendo mais entusiasmo em meu coração, ainda existia um forte desejo de contemplá-lo, de saber quem Ele é, e o que poderia fazer com tudo o que tinha sobrado da minha vida.

Encontrei-me com Aquele que se tornou o amado de minh’alma, após muita insistência, muita oração e perseverança no lugar secreto. O fato é que, sem forças exorbitantes, Ele apareceu e encheu-me, apenas porque Ele é real. Tive que me ver diante do nada para entender o porquê estou aqui, o porquê eu nasci. Foi ali, submersa em sua presença que pude sentir o amor que eu tanto procurava.

“O Seu amor é real! Então me faça alguém melhor! Então me faça alguém melhor! Então me faça alguém real, pois seu amor é real!”

Em um grito, que antes era abafado, me arremessei em algo maior. E hoje, eu percebo o quanto preciso disso todos os dias, pois volta e meia sinto meus pés deslizando pelo caminho antigo, eles insistem em me levar ao lugar escuro de onde saí. E a minha oração é que Você continue me levando mais profundo, me chamando de volta a cada vez que eu parecer perdida e que, sua presença se faça sempre real em mim, livrando-me dos hábitos plastificados.

Achada em sua graça, lugar que me faço feliz. Quando olho em seus olhos, sei quem realmente sou. Que as palavras aqui escritas, encontre repouso em seu coração! Não curto café, nem mimimi!

  • Máilika Pinheiro

    Uau! Que tremendo!!!